segunda-feira, 16 de abril de 2012

Pet Hotel: Falando sobre a idade dos cães

 

Muita gente tem a curiosidade da proporção de idade dos cães em relação ao ser humano. A bem da verdade, 1 ano de vida canino não é igual a 7 anos de uma pessoa. Essa proporção varia de acordo com o tamanho do animal.


Assim, um cãozinho de raça pequena ou mini vive mais se comparado a um de médio ou grande porte. A média de vida de 14 anos é uma média de idades extremas de 10 a 18 anos. Não quer dizer, infelizmente, que vale para todos os portes e portanto não dá para considerar essa idéia ao pé da letra. Há cães que vivem cerca de 7-8 anos, por exemplo.

Aqui vemos a proporção de idade dos cães comparada aos seres humanos. Os nímeros brancos representam a idade humana e os números verdes, a idade dos cães.
Vale lembrar: - cães de  porte mini ou pequeno  = de 1 a 10Kg de peso;
                       - cães de médios porte = de 11 a 25 Kg de peso;
                       - cães de grande porte = de 26 a 44 Kg;
                       - cães gigantes = mais de 45 Kg de peso.

Há vários fatores a serem considerados além do tamanho:

- Local em que o pet vive: se vive dentro de casa, tenderá a viver mais do que se ficar em quintal, pois, mesmo que haja uma casinha para se proteger, há a ação de mudança climática (frio ou calor excessivo; chuva e ventos fortes) , insetos (pois fora de casa há maior chance de infestações por pulgas e carrapatos). Mosquitos, moscas, escorpiões, aranhas e cobras também tem maior chance de atacar os cães quando estes estão fora de casa.

- Alimentação: se for caseira, devemos considerar adição de sal ou outros produtos que podem ser tóxicos, pois normalmente são oferecidas aos animais as sobras de refeições, o que implica em temperos, incluindo o sal, cebola e/ou alho, entre outros, que são nocivos aos animais. O fato de se oferecer ração acaba também influenciando um pouco. As rações não são tão equivalentes em qualidade. As de linha premium e super premium são de qualidade superior em relação aos ingredientes utilizados em rações mais simples. O preço menor é justamente por isso,O que implica em menor qualidade de vida se a ração também for de menor qualidade. Outra realidade triste que existe em todos os lugares.

- Predisposição a doenças: aí estamos entrando no fator genético. Mas a bem da verdade, muitas doenças aparecem por conta de algum fator ambiental ou de manejo que serve de estopim para dar início à doença. Ela não aparecerá por si própria necessariamente. Mesmo as doenças genéticas podem se desenvolver mais rápido ou aparecer, mesmo que o pet não tenha sinal de que a teria por fatores como alimentação, ambiente e estresse.

Embora sejam fatores diferentes, acabam sempre por ter uma relação. Isso é a Biologia, onde não há 100% de certeza como a matemática e a física, que seguem teoremas imutáveis. Por isso, o ideal é manter a qualidade de vida dos animais o máximo possível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário