quarta-feira, 22 de junho de 2011

Pet Hotel falando sobre: Obesidade em cães

Um típico erro do ser humano é achar que seu pet quer comer a comida da mesa, passando a oferecer, além da ração que normalmente compra, um pedaço de pizza, um pouco de macarrão, um ou dois "inocentes" hamburgueres, como aconteceu ao labrador Sampson, na Austrália, que atualmente está mais de 45kgs acima do peso de um labrador saudável, pesando 85kg:

Além da obesidade, tema que estamos comentando hoje, oferecer comida de forma exagerada, e principalmente, temperada,  pode causar outros danos, que podem ou não estarem acompanhados pelo ganho de peso excessivo. Entre eles, o desequilíbrio nutricional, chegando a prejudicar ossos, pele e pêlo; o excesso de sódio do sal dos alimentos pode vir a causar danos ao coração; gordura em excesso nos alimentos causam problemas de fígado, além de  aumentar o colesterol, mal que não é exclusivo da espécie humana e que também está ligado ao sistema cardiovascular; excesso de carboidratos predispõem ao Diabetes; proteínas da carne em exagero sobrecarregam os rins, entre tantos outros exemplos.

Portanto não é somente a quantidade de alimento ingerido que é prejudicial, mas a qualidade. O que podemos achar que não está salgado, por exemplo, para os organismos menores dos pets, pode ser um veneno. Por isso, se houver preferência em oferecer alimentação caseira para cães, deve-se observar que são necessários alimentos naturais, sem o acréscimo de temperos, conservantes ou espessantes e que devem estar equilibrados (deve-se oferecer fontes de proteína, carboidrato, sais minerais de forma harmônica). Nunca ofereça comida sem consultar um médico veterinário.

Mesmo com relação a rações, petiscos, osssinhos, e outros mimos, deve-se questionar ao veterinário a quantidade e até a qualidade dos mesmos, visto que há uma infinidade de opções, mas que devem ser adequadas ao porte, idade e necessidades do animal. Lembramos também que atividade física deve estar diretamente ligada à dieta.
Não adianta oferecer uma ração para cães ativos, por exemplo, se o pet não tiver muita atividade. Do mesmo modo que não se deve exagerar na quantidade de biscoitos caninos só por eles parecerem pequenos aos nossos olhos. Como eles não são ração, mas sim mimos, devemos oferecê-los com os mesmos cuidados que oferecemos doces a crianças.
Mas esses petiscos são de grande ajuda na hora em que a família está fazendo sua refeição. Ao invés de se oferecer um pedaço de pizza, lasanha ou carne ao seu cão, pegue um pequeno pedaço de um bifinho ou biscoito canino (sempre divida um em vários pedaços), finja que o está comendo e ofereça ao seu pet. Por mais que o cheiro seja diferente do da comida, os petiscos possuem um aroma agradável ao olfato de nossos grandes amigos. Desta forma, você também impede que seu cão adquira hábitos como o de furtar comida da mesa ou abrir a porta da geladeira para pegar algum prato que lhe pareça apetitoso, ao mesmo tempo que diminui a chance dele desenvolver obesidade ou qualquer outro problema ligado a maus hábitos alimentares.
Lembre-se sempre de oferecer a ração dividida em duas refeições principais ao dia. Se seu pet é daqueles "fominhas",  dê a quantidade indicada pelo veterinário em porção diurna e noturna e no intervalo entre essas refeições, a cada 3 horas, dê um pequeno petisco, pode ser até colocando-o num brinquedo, pois assim estimulará seu pet a fezer uma atividade antes de comer.

Isso diminui a fome exagerada, assim como distrai seu pet até o horário da próxima refeição. Agora, se for filhote ainda, não esqueça de oferecer 3 principais refeições (manhã, tarde e noite), já que ele está em fase de crescimento e pode apresentar hipoglicemia ao permanecer muito tempo sem se alimentar adequadamente. Não há regras com relação a suplementos alimentares para os filhotes, mas se ele estiver comendo uma ração de alta qualidade, nem sempre há a necessidade de se complementar. Lembre-se: tudo em excesso é prejudicial. Por isso, novamente orientamos que um médico veterinário deve ser sempre consultado. Não adianta perguntar para um atendente de loja, consulte o profissional da área.

E nunca esqueça de procurar interagir e fazer com que seu cão tenha atividade física. Isso ajuda no controle de peso dele e também o distrai para não fazer possíveis "artes" em casa.
Agora, se seu cão já está acima do peso, lembre-se de associar exercícios inicialmente leves e que devem aos poucos aumentar em tempo e intensidade. Também é importante usar ração específica para perda de peso, rica em fibras e menos calórica, a qual o veterinárío deve indicar.
Nosso serviço de Personal Vet também pode ser agendado para ajudar, tanto na prevenção como para o tratamento da obesidade. Hoje em dia há também clínicas especializadas em obesidade, com piscinas, esteiras e spa adequados para o tratamento. O Little Pets já faz o serviço de Spa, por enquanto com atividades, controle alimentar, massagem e aromaterapia. Em breve, ofereceremos piscina e esteira também. Fiquem ligados.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Pet Hotel curiosidades: Filhotes de Leopardo das Neves

O Zoo da Suíça apresentou no dia último dia15 os filhotes trigêmeos de Leopardo das Neves (Uncia uncia), espécia nativa da Ásia Central e em risco de extinção. Com 8 semanas de idade, já se mostram bem extrovertidos  e saudáveis.


Atualmente, há cerca de 5 mil animais da espécie na natureza. O leopardo das neves é caçado inclusive pelo uso de seus ossos na medicina tradicional asiática, além de ser alvo de caçadores por sua pele.


sexta-feira, 10 de junho de 2011

Pet Hotel falando sobre: Carrapatos

Um bichinho que causa mal tanto para os animais, quanto para o ser humano. Existem inúmeras espécies de carrapatos, sendo a de maior importância para cães o Rhipicephalus sanguineus (o cão é seu hospedeiro, assim como outros mamíferos domésticos e silvestres). Vamos falar da importância de prevení-los.

O carrapato tem a predisposição de permanecer nos seguintes locais em seus hospedeiros:



- Adultos - pavilhão auricular (orelha interna que é visível) e espaços interdigitais (embaixo das patas e por baixo dos dedos) – enfim, locais mais escondidos e quentinhos.

- Larvas e Ninfas  -  pescoço e outras regiões anatômicas.
Fêmea de carrapato e seus ovos

Em casos de infestações muito intensas, os carrapatos podem estar presentes em quase todo o corpo do hospedeiro e serem tanto adultos como larvas e ninfas. E as fêmeas de carrapatos adultas, quanto mais se alimentarem de sangue, mais ovos produzem (de 3.000 a 5.000 ovos por postura), portanto, aumentam possíveis infestações futuras, criando um ciclo vicioso, que deve ser combatido.

Os carrapatos transmitem e causam:

- Rickttsioses (Ehrlichia canis, Haemobartonella canis);

-  Protozoários que também podem ser transmitidos ao ser humano, como a Babesia canis e  Hepatozoon canis);

- “Paralisia por carrapato”;

- Anemia (por hematofagismo);

- Bicheiras (miíases) e infecções bacterianas secundárias, pelo fato do local da picada ser uma porta de entrada para esses organismos.

As doenças que merecem um pouco mais de destaque são a Erliquiose e a Babesiose, também conhecidas como “doença do carrapato”, bastando apenas um carrapato contaminado  para transmitir as doenças, ao se alimentar do sangue de seu hospedeiro e essas doenças podem permanecer sem sintomas por muitos meses e podem causar anemia muito intensa e até evoluir para morte se não detecatadas e tratadas a tempo.

O tratamento dessas doenças é longo, de no mínimo 20 a 30 dias à base  de antibióticos, soro e, sendo necessária, em certas ocasiões até uma transfusão sanguínea.

Por isso, voltamos à importância da prevenção.

A melhor maneira de prevenir o carrapato é utilizando nos animais produtos carrapaticidas e produtos específicos para ambientes. Não necessariamente um produto antipulga será um carrapaticida (veneno de carrapatos), então consulte o veterinário de seu pet ou, se preferir,  pode ser agendada uma consultoria veterinária, o nosso serviço Personal Vet).

Sobre as doenças não faltará oportunidade de detalharmos uma a uma.